Site Overlay

DIAMANTINA

DIAMANTINA

As encostas íngremes repletas de casarões coloniais coloridos se destacam na Serra dos Cristais, formando uma impressionante paisagem de Diamantina. No caminho para a cidade histórica, a silhueta das montanhas transforma a estrada em cena de filme, e um anúncio tão bonito ainda acontece. Ao dirigir por um dos destinos mais bonitos de Minas Gerais, pode ser difícil focar na pista.

Começar alguns dias em Diamantina é como viajar por séculos de história, sempre cheios de beleza. Diamantina, a 300 quilômetros da capital, Belo Horizonte, é o ponto de partida de um dos roteiros turísticos mais populares de Minas Gerais: a Estrada Real. Esquecida pelos turistas por muitos anos, Diamantina recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO em 1999 e desde então vem buscando novos rumos.

Um pouco da história de Diamantina, Minas Gerais

Diamantina, conhecida como Arraial do Tijuco, foi o maior centro de mineração de diamantes do mundo ocidental no século XVIII. Tanta riqueza permitiu que a região se transformasse em uma das aristocracias mais refinadas da época colonial. Parte dessa história envolveu o uso extensivo de trabalho escravo, e a presença de Chica da Silva lembra as pessoas dessa história como uma mulher escravizada e escravizada que foi parte importante da cidade.

A mineração de diamantes perdeu força em meados do século XIX e outras atividades tomaram conta de Diamantina, incluindo a produção têxtil, responsável pela idílica Vila do Biriri. Hoje, o local é uma das principais atrações turísticas da região. Cercado por vegetação exuberante, cachoeiras e poços, o Parque Nacional do Biriri reflete a missão de Diamantina não apenas como um passeio histórico, mas também como uma aventura na natureza.

O que fazer em Diamantina: atrações turísticas

A cada vez mais movimentada Diamantina guarda tesouros que vão além da história da mineração de diamantes no século XVIII. Casas charmosas em ruas de paralelepípedos e igrejas centenárias são uma das maiores atrações de Diamantina. Além de charmoso, o prédio colonial também é palco do maior espetáculo da região: a Vesperata. O espetáculo reúne dezenas de instrumentistas que envolvem os visitantes com suas interpretações musicais sob o comando de um maestro no meio da platéia. Tudo em varandas de prédios históricos.

Diamantina é uma cidade pequena e a maioria das áreas turísticas pode ser visitada em poucos dias. Sem muitas obrigações, Diamantina é o lugar perfeito para relaxar e aproveitar cada minuto de relaxamento. Entre as principais atrações de Diamantina, não deixe de conferir a Igreja Nossa Senhora do Carmo, Igreja São Francisco de Assis e Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, além de obras recentes, como as localizadas no coração do centro histórico, .Catedral do Coração.

Para quem deseja conhecer mais sobre a história do local, uma visita aos casarões e pequenos museus de Diamantina é ótima. Vale a pena começar pelo Museu do Diamante e Casa da Chica da Silva, além do belo prédio do Instituto Casa da Glória, um dos marcos da arquitetura local. A Casa de Juscelino explica como um jovem cidadão de Diamantina se tornou presidente da república. Para um mergulho nos edifícios históricos, visite a bela antiga Casa da Intendência e o antigo mercado, onde são vendidas várias iguarias mineiras.

A Vila do Biribiri é a viagem ideal se o foco for belas paisagens e cenários idílicos. Reserve um tempo para o almoço e um banho de cachoeira sob as árvores no Parque Estadual do Biribiri. Demore mais um pouco e visite as vizinhas São Gonçalo do Rio das Pedras, Milho Verde e Serro. Embalagem perfeita nesse pedacinho charmoso de Minas Gerais.

Quando ir para Diamantina

Diamantina pode ser visitada o ano todo, mas a melhor época para viajar é de abril a setembro, quando o clima é mais seco e as chuvas são mínimas. O Vesperata também acontece nesse período, o principal evento da cidade, com demos programadas em finais de semana selecionados. Vesperata atrai muitos turistas para Diamantina, o que torna as hospedagens nos finais de semana de eventos sempre mais caras. Além da Vesperata, é importante ficar atento a todos os feriados prolongados do ano, que costumam atrair muitos turistas a Diamantina, principalmente o Carnaval que é famoso no Brasil.

Como chegar em Diamantina

Diamantina está localizada no estado de Minas Gerais, a 300 quilômetros da capital, Belo Horizonte. O aeroporto mais próximo de Diamantina para grandes voos comerciais é o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte – Confins (CNF). Dos aeroportos de Belo Horizonte ou Confins, é necessário viajar até Diamantina.

A forma mais comum de os turistas chegarem a Diamantina é de carro. De Belo Horizonte, o trajeto mais rápido começa na BR-040, passando por Sete Lagoas e Curvelo, pela BR-135 (posto Trevo), depois pela BR-259. A viagem dura em média 4h30.

A rota de ônibus para Diamantina também é uma boa opção. As tarifas entre Belo Horizonte e Diamantina começam a partir de 113 reais e são administradas pela Viação Pássaro Verde e Gontijo. A viagem entre as duas cidades leva de 5 a 6 horas.

Pousada em Diamantina

Diamantina é uma cidade pequena e, apesar de muito turística, não possui muitas acomodações. Se você está planejando um fim de semana ou férias prolongadas em Vesperata, certifique-se de não ficar sem espaço.

Escolher a localização de um hotel em Diamantina é muito fácil. As principais atrações turísticas estão localizadas no centro histórico, quanto mais próximo melhor. Na dúvida, use a Catedral Metropolitana de Diamantina como referência por sua localização privilegiada.

Boas opções para o centro histórico de Diamantina são Pouso da Chica, Pousada do Garimpo, Pousada Relíquias do Tempo e Hotel Tijuco (projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer). Um pouco mais longe, confira o Hotel Estilo de Minas. Os viajantes que preferem um ambiente mais rural vão adorar a Pousada Vila do Biribiri, localizada no Parque do Biribiri, a 12 km de Diamantina

Quanto tempo ficar em Diamantina

Diamantina não exige muito do turista. Fins de semana ou feriados prolongados são ideais para caminhar pelas ladeiras íngremes do centro histórico, visitar prédios e igrejas centenárias, dar um mergulho em cachoeiras e saborear a comida mineira. Em poucos dias, será fácil conhecer as cidades vizinhas. Neste caso, uma viagem de 5 dias é o ideal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.